Entre em contato conosco através do Celular (34) 9 9112-5184 ou (34) 9 9908-9606

Eu, meu filho e a Inteligência Emocional!

Você já perdeu oportunidades por medo?

Já perdeu a cabeça em momentos de raiva e depois se arrependeu?

Sabe identificar o que sente? Sabe lidar com suas emoções diariamente?

E com as emoções do seu filho?

Se você se identificou com essas perguntas acima, continue a leitura garanto a você que vai compensar.

Eu sou Verônica Dias, Master Coach para pais e crianças e desenvolvedora de projetos educacionais. Há quatro anos estou no caminho do autoconhecimento, e o que me despertou para isso, foi justamente a resposta de algumas dessas perguntas acima. Desde então, venho me especializando em autoconhecimento e inteligência emocional para pais e crianças, para que pudesse apoiar uma educação consciente, baseada no exemplo e em uma inteligência a qual não é desenvolvida nas escolas ou faculdade.

Você se considera uma pessoa inteligente emocionalmente? Ou será que você acredita que ter essa habilidade, é simplesmente deixar de sentir raiva, medo ou tristeza?

Se pensa assim, está enganado, pois inteligência emocional não é deixar de sentir medo, tristeza ou raiva, e além de tudo ainda ensinar ao seu filho que ter esses sentimentos é errado. Mas sim, você saber lidar com essas emoções!

Vamos descobrir o que é isso na prática e como essa habilidade pode apoiar você na sua vida pessoal, familiar, profissional e social.

O que é inteligência emocional?

E a capacidade de entender e lidar com nossas próprias emoções e sentimentos, e também, com as emoções e sentimentos de outras pessoas. Simples né!? Porém a maioria de nós recebeu uma educação que visava, antes o comportamento, que a compreensão mais profunda de nossos sentimentos e razões. Por isso, a maioria das pessoas ainda vive presa a ideia que existe sempre uma resposta ou atitude emocional certa a cada situação, e tenta desenvolve-la, mesmo que o preço pago seja distanciar mais e mais do que realmente sente e deseja, em busca do que seria sociavelmente aceitável sentir e desejar. Muitos de nós perdemos o contato com as próprias emoções e tornamo-nos, por conseqüência, incapazes de entender para poder agir sobre elas e ate transformar positivamente, nos casos em que nos afetam negativamente e nos atrapalha. Para você refletir se está no caminho de uma consciência emocional reflita:

  1.  Consegue identificar e perceber as suas emoções?
  2. Consegue compreender o que causou esse sentimento?
  3. O que ele causa em seu corpo (como e onde)? Qual a necessidade de sentir isso?
  4. Consegue gerar ou acessar esse estado emocional a favor do bem estar espiritual e a conquista de seu objetivo?
  5. Consegue controlar sem reprimir esse sentimento?
  6. Consegue fazer tudo isso citado acima em você e mais além, no outro?

Esses são os objetivos principais da Inteligência Emocional. E você deve estar se perguntando, e onde isso entra na educação do meu filho? Ou na minha vida profissional? Hoje ninguém é cresce profissionalmente por ser inteligente ou saber determinado assunto, mais sim por suas atitudes, comportamentos, emoções. #ficaadica

Já na educação, o que me diriam seu eu contasse a vocês que crianças com habilidades emocionais se tornam adultos felizes e seguros? E mais, a chance de se tornar depende químico, por exemplo, é quase nula? Além disso, que as crianças copiam o que fazemos e não o que falamos então, o raciocínio é simples, se a maioria de nós não desenvolveu essa habilidade pelo padrão comportamental que fomos criados, cabe a cada um refletir se quer repetir esse comportamento ou se quer algo a mais para seu filho! Qual o papel dos pais no desenvolvimento da inteligência emocional dos filhos?

Os pais têm papel importantíssimo no desenvolvimento da inteligência emocional dos seus filhos. Ouço muitos pais falando: “São apenas crianças, não sabem expressar o que sentem, temos que respeitar.”, concordo com parte de respeitar desenvolvimento do filho, mas quero deixar aqui uma reflexão, vocês aprenderam sozinhos os comportamentos que tem hoje, ou vocês receberam isso de alguém? Copiam o comportamento de alguém ou vocês acham que isso foi instinto? As maiorias dos pais estão preocupadas com a educação que vão dar aos filhos, com desenvolvimento do QI (quociente intelectual) e o cognitivo, mais desconhece o QE (quociente emocional) que desenvolve a metacognição e amplia o Sistema límbico grande área responsável por muitas habilidades, talentos e competências que são desenvolvidas ao longo da vida. Para se educar um filho de modo que este se torne emocionalmente inteligente, é preciso primeiro reconhecer suas emoções, sem repreendê-las, desrespeitá-las ou ignorá-las. Precisam conhecer as suas para ajudar seus filhos a identificar suas próprias emoções e impor limites adequados.

Como podemos ajudar nossos filhos a desenvolver inteligência emocional?

Existem algumas maneiras de apoiar ao seu filho nesse caminho emocionalmente saudável. Uma delas é o apoio externo, através de atividades que visam desenvolver o autoconhecimento e a inteligência emocional. Hoje, temos alguns profissionais da área como Coaches preparados e especializados no assunto, terapias, neuropsicopedagogos e profissionais da neuroeducação. Outro apoio é a própria educação que passam a eles, e não existe certo ou errado, não existe uma formula para isso. Cada pessoa tem uma essência, um pensar e um agir, e bem ai que entra a inteligência emocional e o apoio, é respeitando e tendo empatia por cada um. Os pais devem ensinar aos filhos estratégias para lidar com os altos e baixos da vida. Devem aproveitar os estados de emoções das crianças, para ensiná-las como lidar com eles e ensiná-la como tornar-se uma pessoa humana, de acordo com os valores em que acreditam. Para aqueles pais que ainda não são preparadores emocionais, Gottman, propõe 05 passos para que se tornem:

  1. Perceber as emoções das crianças e as suas próprias;
  2. Reconhecer a emoção como uma oportunidade de intimidade e orientação;
  3. Ouvir com empatia e legitimar os sentimentos da criança;
  4. Ajudar as crianças a verbalizar as emoções;
  5.  Impor limites e ajudar a criança a encontrar soluções para seus problemas e não fazer por elas, acreditar no potencial que cada uma nasce.

A inteligência emocional da criança pode ser moldada na interação familiar, manter a calma, mostrar que ficamos irritados, com raiva, mas que podemos agir de forma a não causar arrependimentos futuros (pensar antes de agir, como a outra esta se sentindo). Reconhecer que algumas emoções podem prejudicar nossa vida, entretanto há a possibilidade de gerenciá- las e encaminhar situações desagradáveis para um melhor desfecho. Uma super dica, aproveitando os desenhos que eles tanto amam é o desenho: Daniel Tigre.

Quais os benefícios de desenvolvermos a inteligência emocional das crianças?

Os benefícios são inúmeros, poderia ficar aqui por muitas linhas a descrever por isso vou citar o que na minha visão é mais relevante:

  1. Crianças emocionalmente inteligentes são mais seguras para encontrar soluções para os problemas que a vida traz no cotidiano, ou quando acontecem eventos mais sérios como perdas, separações e outros tantos acontecimentos que podem traumatizar;
  2. Ajuda a criança a ser menos agressiva, mais sociável, permite que ela tenha uma vida mais tranquila, calma, na timidez, na agitação;
  3. Evita no futuro o envolvimento com qualquer tipo de dependência química;
  4. Controle e entendimento das birras
  5. A autoestima, autoconfiança, autonomia estão ligadas ao desenvolvimento da Inteligência emocional.

A partir de que idade é indicada começarmos a desenvolver a Inteligência emocional das crianças?

A educação emocional faz parte da formação da criança. Como mãe, desde que tive contato com esta ferramenta, venho dialogando e ensinando a minha filha, ela tinha acabado de nascer. Hoje com 4 anos ela me corrige (risos) e me ensina quando em momentos o meu instinto fala mais alto, como falei não somo perfeitos e não precisamos mostrar isso a eles. Como profissional da área, desenvolvo crianças a partir de 3 anos, respeitando seu desenvolvimento cognitivo e de maneira bem lúdica, eles aprendem a se conhecer brincando e se divertindo. Mais acredito que desde o planejamento da criança a mãe e o pai já podem fazer todo trabalho de ensinar isso a eles, afinal, várias ciências e culturas já comprovam que a criança tem influencia desde o seu planejamento.

De que forma as escolas podem ajudar a desenvolver a Inteligência emocional das crianças?

Além dos pais, um dos apoios externos são as escolas, já que é lá que se desenvolve grande parte do cognitivo. Então, porque não, desenvolver a metacognição e o autoconhecimento alinhado e com coerência ao intelectual?

Existem algumas maneiras da escola apoiar esse caminho consciente das emoções. Hoje, existem no mercado varias ferramentas escolares e profissionais capacitados para tal.

A escola tem a oportunidade de escolher o que melhor irá atender as suas necessidades e encaixar na missão da escola.

Em alguns casos, a escolha é por treinar os educadores e eles aplicam na grade curricular dentro da proposta pedagógica. Outros, podem optar por terem profissionais específicos da área que não sejam os educadores, e fazer parte tanto da grade curricular quanto uma atividade extra curricular.

Sou uma das fundadoras do Programa Talento em Ação, um programa que utiliza ferramentas de Coaching, Inteligência Emocional e Liderança, desde a Educação Infantil ao Pré-vestibulando. O Programa Talento em Ação foi desenvolvido por três profissionais especializados no assunto, onde visamos o desenvolvimento desde as crianças/jovens a pais, e corpo pedagógico da escola.

Assistam ao link abaixo e conheça nosso programa

Talento em Ação

Gostou das dicas compartilhadas acima?

Curta e compartilhe para que mais pessoas possam entender sobre a Inteligência emocional.

Abraços com carinho,

Verônica Dias